A cura para o cancro pode estar mais perto do que nunca após esta descoberta impressionante!

Toda a gente sabe o quão fatal pode ser o cancro. São milhares de casos de pessoas a sofrerem imenso com a doença e a verdade é que, se for descoberta numa fase mais tardia, é uma doença muito difícil de parar.

Caso não saibas, o cancro é criado pelo crescimento celular anormal e descontrolado. Agora, o Huffington Post reporta que há novidades muito interessantes acerca do desenvolvimento e tratamento deste problema muitas vezes fatal.

Os cientistas e investigadores da Universidade de Dundee, na Escócia, acreditam ter descoberto algo que pode erradicar completamente aquelas proteínas com cancro que eram previamente “indestrutíveis”.

Apesar de essas proteínas terem permanecido resistentes contra drogas no passado, os cientistas pensam ter desenvolvido uma espécie de “beijo da morte” que usa moléculas para as “amarrar” a um agente neutralizante antes de destruir as proteínas.

O Professor Alessio Ciulli, da Dundee’s School of Life Sciences explicou_

“Crucialmente, descobrimos que não é suficiente para esta proteína neutralizante o facto de esta se aglutinar à proteína má. Tem que fazer contacto directo com a mesma, “beijá-la” mesmo.

Chamamos-lhe “beijo da morte”, porque é a chave para assegurar a degradação das proteínas más.

Conhecemos imensas proteínas que estão activas no que toca a causar doenças, mas não temos conseguimos bloqueá-las, até agora”.

Ele completou:

“O maior problema aqui é que não temos conseguido encontrar as pequenas moléculas que conseguem aglutinar-se às proteínas e ao mesmo tempo manter as suas funções originais. O trabalho de laboratório prosseguiu durante muito tempo, desta vez com uma aproximação diferente, e felizmente o último trabalho realizado por nós trouxe progressos.

Em vez de termos pequenas moléculas a tentar desabilitar as proteínas más, encontrámos uma maneira de as modificar para que elas possam ser utilizadas para atrair as proteínas neutralizantes, que por sua vez se juntarão à má vizinhança de forma a actuar contra ela – um processo em cascata de degradação”.

Vamos deixar que eles façam o que sabem, mas este tipo de progresso é sempre fantástico!